Medicamento inovador derivado de ácido oleico se mostra promissor no combate ao glioblastoma, o câncer cerebral mais agressivo.

Um medicamento revolucionário derivado do ácido oleico, encontrado em algumas gorduras de origem animal e vegetal, promete trazer esperança no tratamento do glioblastoma, um tipo agressivo de câncer cerebral. Resultados promissores de testes de fase 1/2 foram divulgados recentemente no British Journal of Cancer, realizados por pesquisadores da Fundação The Royal Marsden, do NHS e do Instituto para Pesquisa em Câncer britânico.

De acordo com os estudos, um quarto dos pacientes submetidos ao tratamento com o novo medicamento apresentaram resposta positiva, sendo que um deles teve uma resposta excepcional que durou mais de três anos. O glioblastoma é conhecido por sua baixa taxa de sobrevida, com a maioria dos pacientes vivendo apenas de 1 a 2 anos após o diagnóstico.

A Dra. Juanita Lopez, líder do estudo, ressaltou a importância dessa descoberta e a urgência no desenvolvimento de novos tratamentos para essa doença. O novo medicamento, chamado 2-OHOA, apresenta um mecanismo inovador para combater o tumor, agindo na reestruturação das membranas celulares anormais das células cancerígenas.

Além disso, o 2-OHOA é de fácil administração, sendo tomado em forma de sachê, semelhante a um chá, três vezes ao dia. Atualmente, o tratamento para glioblastoma envolve cirurgia, quimioterapia e radioterapia, mas o novo medicamento pode representar uma nova alternativa terapêutica.

A pesquisa do 2-OHOA está avançando, com um estudo de fase três em andamento que envolve mais de 200 pacientes recém-diagnosticados com glioblastoma. A expectativa é que, se os resultados forem positivos, o tratamento se torne amplamente disponível, trazendo esperança para aqueles que lutam contra essa forma agressiva de câncer.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo