Áudios entregues à Polícia confirmam plano fraudulento de envenenamento e morte de empresário no Rio, por motivação financeira.

Áudios enviados por Suyany Breschak para a psicóloga Júlia Andrade Cathermol Pimenta, de 29 anos, confirmam uma versão combinada entre as duas para que Júlia enganasse o namorado Jean Cavalcante de Azevedo para passar um mês na casa do empresário Luiz Marcelo Antônio Ormond, de 45 anos.

O corpo de Luiz Marcelo foi encontrado no dia 20 de maio em seu apartamento no Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. Júlia é acusada de o envenenar com um brigadeirão, a mando de Suyany por motivação financeira.

Segundo as investigações da polícia, as gravações de áudio enviadas por Suyany foram fundamentais para comprovar a participação das duas no plano para que Júlia pudesse ficar na casa da vítima durante um mês. As gravações foram submetidas à perícia no dia 12 de junho e passaram por um exame de comparação de falantes para identificar a autenticidade das vozes.

O laudo audiográfico confirmou que a voz presente nas gravações era de Suyany e foi anexado ao inquérito da morte de Luiz Marcelo. Nas mensagens de voz, Suyany se identifica como “Nat” e faz um pedido para que Júlia cuide dos filhos dela durante um mês, alegando problemas de saúde da mãe e dificuldades familiares.

A polícia aponta que Suyany fez uma oferta de emprego a Júlia, pagando um valor por criança, além de oferecer benefícios como plano de saúde e aluguel. Nas gravações, ela destaca a confiança em Júlia e faz exigências sobre o cuidado dos filhos e dos cachorros.

O laudo audiográfico concluiu que a voz de Suyany apresenta características específicas de pronúncia que coincidem com as mensagens de voz enviadas a Júlia. Todo esse material foi utilizado pela polícia para avançar nas investigações e esclarecer o caso da morte de Luiz Marcelo. A participação de Suyany e Júlia no plano de enganar Jean Cavalcante de Azevedo foi confirmada a partir das evidências encontradas nos áudios.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo